Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Linda princesa da noite

Linda princesa da noite
Única que banha a minha alma
Anseio me queimar te amando
Numa loca fantasia em chamas
Ao dom de fazê-la eclipsar
Movendo as energias cósmicas
Onde a volúpia com seu charme
Ordena libertar os desejos
Nascidos na prima visão
Seu frágil mar de tempestade
Inundou meus desertos mentais
Por ondas de ilusões ilícitas
Dilapidadas em chances de loucura
Deitei diante do brilho algoz
Que derrete os trilhos sensoriais
Formando densas gotas de luz glacial
Sobre as folhas de mágoas lunares
Com o auge da plena emoção
Sentia muito medo do seu luar
Submerso em doce admiração
De raras cores para irradiar
Assim me postei fora da razão
Fabulosa dama de ego luminar
Que me ofuscava com o belo clarão
Dos diamantes do seu breve olhar
Sob os domínios da sedução
Em contos que marcam os laços
Se eu pudesse voltar no tempo
Levando a chave do seu portal
Hoje iria por fim me afogar
Com o teu lago dos sonhos
Pela sede de inúmeras épocas
Desenhadas em sua órbita
Amo você ao som da escuridão
Ainda com a neve tocando-me a face
Meus delírios além de utópicos
Se confundem numa dúbia realidade
Refinando o fascínio que respiro
Para não perder a magna esperança
De alunissar em sua grandeza
Por um oceano de calor eterno
Musa nostálgica dos céus da terra
Mesmo que finde seu âmago-luz
Quando fatalmente minguante
Me detone na flor da lunação
Embora distante de luminosa
Quero lhe chamar de poderosa
Pois meus sonhos róseo-sensuais
Clamam pelos beijos de suas fases
A uma alunada jornada de fogo










Laninha
Enviado por Laninha em 14/05/2006
Código do texto: T155685
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Laninha
São Paulo - São Paulo - Brasil, 35 anos
52 textos (2685 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:02)
Laninha