Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Paradoxo

Livre, o coração ama infinitamente. Teimoso, ama sem poder, é fiel no não-pertencer, espera sem convicção. Sofre, entrega-se aos martírios do esquecimento, mas sabe que desobedecer aos seus ímpetos seria suicídio. Loucura? Pouco importa. É o amor que lhe sustenta as fibras, por isso morre e renasce tantas vezes, enquanto a chama permanecer acesa. Dispensa racionalidade e probabilidades, não inibe sua imaginação. Espera um dia não estar mais solitário. É isso que o anima a viver, faz com que recobre sua paz, sua luz, seu vigor. É a liberdade que torna esse amor paradoxalmente complexo tão místico e sincero, alimento para uma alma inadaptada às condições impostas pelo mundo. Assim, beijo-te, amor meu, ainda que não saibas.
Joyce Amorim
Enviado por Joyce Amorim em 04/06/2006
Código do texto: T169414
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Joyce Amorim
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 27 anos
141 textos (15411 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:39)
Joyce Amorim