Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Deus: criado para a explicação de fenômenos.

“Quando, em épocas remotas, o homem criou a crença de ter uma alma imaterial e independente do corpo, estava apenas tentando explicar o sonho. Não perceberam os nossos ancestrais primitivos que, se os sonhos fossem atos desses supostos espíritos, cada vez que alguém sonhasse com uma pessoa essa teria inevitavelmente o mesmo sonho, o que não ocorre na realidade. Se os antigos interpretavam os trovões e os ecos das próprias vozes como as vozes dos deuses, isso era apenas o desconhecimento dos fenômenos naturais. Os loucos, pessoas com deficiência mental, eram considerados endemoninhados (possuídos pelos demônios), por falta de melhor compreensão do complexo mecanismo cerebral.

Hoje, que todos esses mistérios foram desfeitos, argumenta-se, com suporte na tese de Santo Agostinho, que todas essas coisas complexas da natureza não podem ter vindo à existência por acaso, sendo isso prova suficiente de que haja um criador supremo. Esse argumento me foi apresentado quando eu ainda era criança. No entanto, o meu cérebro infantil foi capaz de entender a inutilidade da premissa. Raciocinei: De onde não pode provir o simples poderia surgir o complexo? Se do acaso não pode surgir a criatura, poderia dele surgir o criador supremo? Se todas essas coisas só podem ter sido feitas por um poderoso e sábio criador, esse criador deve ter sido criado por outro superior a ele. Conseqüentemente, o criador do criador teria que ter seu criador também, e esse o seu, em uma corrente infinita. Se, ao contrário, pode existir um “criador incriado”, por que coisas simples da natureza não poderiam existir sem um ente criador?” (João de Freitas).

 
Ed
Enviado por Ed em 21/07/2006
Reeditado em 22/07/2006
Código do texto: T199146
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ed
Hortolândia - São Paulo - Brasil
142 textos (42130 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:29)