Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu





01/02/1980





Gostaria de chorar.
Chorar tanto que minhas lágrimas e a chuva se fundissem num só oceano, que inundaria a minha alma.
Não sei o que sou, como sou, porque sou.
Gostaria de mudar o ritmo simples e monótono da minha vida, de fazer o que os outros fazem ou querem que eu faça, de não sentir pena de mim e dos outros, de viver apenas por estar viva.
Não sei o que eu quero, estou cansada.
Um cansaço que não se vai, e não fica de vez.
Uma depressão que deprime deixando de deprimir.
Uma timidez profunda, que não me deixa ser o que eu sou, que não deixa que eu seja o que sou, não deixa que eu faça o que quero sem me sentir indesejável.
Sinto-me indesejável, inútil. Uma inutilidade sem limites, sem entendimento, nem eu mesma me compreendo.
Sabe quem me entende?
Os bichos. Os cães, geralmente. Qualquer bicho que aceite um afago desanimado, e que me olhe nos olhos, com um ponto de interrogação no fundo dos seus. E até chore comigo.
Eles, sim. Não fazem perguntas, nem querem explicações.
Apenas sentem.
Edilene Barroso, 16 anos, grávida, dois meses de casada. Profissão: inútil.
Edilene Barroso
Enviado por Edilene Barroso em 28/07/2006
Reeditado em 28/07/2006
Código do texto: T203613

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Edilene Barroso
Campinas - São Paulo - Brasil, 53 anos
192 textos (21457 leituras)
12 áudios (4784 audições)
5 e-livros (337 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:21)
Edilene Barroso