Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A filosofia interna e a filosofia externa

                                               A Filosofia Interna e a Filosofia Externa.
Caro leitor. É sempre um mistério como foi exposto esse texto que joga uma certa dose de luz nas trevas entre a filosofia interna e a filosofia externa.
É verdade que a filosofia para alguns os chamados eleitos considera a perola, a luz no fundo do túnel ou a pedra lapidada, mas, para os leigos a filosofia não passa de contos ou de uma historia contada ou de certa forma inventada para iludir o pensamento do homem e a sua compreensão. Na verdade, meus queridos leitores estão abrindo vossos olhos para o inimaginável ou simplesmente a verdade que faz morada na penumbra, porque aqueles que conhecem a verdade por inteira, esconde como se fosse não, é um tesouro que a humanidade desconhece, somente aqueles eleitos, um pequeno grupos de homens de desejo alcançaram essa dádiva. Isto mesmo caro leitor a filosofia externa é comentada por cegos que levam outros cegos pelo mesmo caminho.A filosofia externa esbanja historia e um linguajar cheio de estilo e chega a ser uma literatura rudimentar que não começo e nem fim.
Na verdade a filosofia externa se perde, porque, não possui alicerces como fundamentos ou princípios que lhe proporcione luzes que clareia a sua historia ou que faça melhor pra dizer a que veio ou simplesmente é uma filosofia sem raiz profunda.
A filosofia externa é a cegueira pura sem ao menor vislumbre de uma luz no fundo do túnel, que possa dar esperança ao leitor de uma mensagem segura ou de uma verdade absoluta.
E por isso que a filosofia é vista por muitos como uma leitura rudimentar e que não leva a lugar  nenhum, muitos menos possa mostrar os caminhos que a filosofia interna esconde no silencio da natureza.
A filosofia externa exterioriza a linguagem comercial, onde o nada passa por alguma coisa útil, ou seja de uma simples questão se faz uma historia que na maioria das vezes é até envolvente, mas, não trás a luz necessária para esclarecer o verdadeiros princípios eternos.
A filosofia externa é a mentira contada de uma maneira sutil e de uma leviandade de muito mau gosto por aqueles que falam de meias verdades ou que possui como luz a luz de uma vela que ilumina apenas os falatórios ou cita os mistérios do mundo.
É uma filosofia que emite falsas verdades que porventura trás consigo as mentiras que passam por verdades que muitas vezes guiam cegos por verdadeiros abismos.
Na verdade o exterior é falso e tenebroso como a cegueira dos cegos. E uma ilusão onde predomina o imperfeito e a realidade é falsa como a imagem vista pelos olhos humanos; portanto a razão é simplesmente obstruída.
A filosofia externa não é fecundada com os princípios, com os mistérios, com os segredos que um bom texto trás nas entrelinhas.
A filosofia externa é uma verdadeira teia de aranha aceitam tudo que seja inimaginável e complexo, deixando a simplicidade e a beleza morta em, seus textos frívolos.
A filosofia externa é uma idéia errônea, imperfeita, onde se produz um linguajar dissimulado e inútil do ponto de vista filosófico e verdadeiro para com o pensamento.
Portanto há uma grande diferença entre a filosofia externa e a filosofia interna.
O que podemos expressar sob a filosofia interna é de uma maneira secreta, sigilosa e misteriosa para os leigos que fica rodopiando ou girando em volta do ouro e não consegue possui-lo devido a sua ignorância e o despreparo diante da situação.
A filosofia interna é a gema do ovo, enfim, é o calor dos raios solares que ilumina toda a natureza. Sabiamente é a perola que os sábios vivem  á procura, mas, somente os eleitos por Deus e pela natureza serão agraciados com tamanha alegria de possuir a perola do paraíso
São na verdade pepitas de diamantes que a natureza esconde, pois, somente os homens eleitos por Deus é que tem o direito de ter acesso a esse tesouro iluminado.
A filosofia interna é como se fosse ter uma intimidade com o Pai  Supremo, e alma procurando alçar vôos aos céus superiores.
É a Divindade falando por intermédio da filosofia interna aos homens de vontade forte ou de um desejo ardente; é a corrente da luz que incendeia os pensamentos iluminados.
A filosofia interna é a alma sedenta que encontra no seu trabalhar na pedra bruta, que o lapida transformando em um diamante, onde seus raios ofuscam a eternidade.
A filosofia interna é a alma sedenta que encontra o homem de desejo, na obscuridade de seu interior.
A magia, os milagres, as coisas sobrenaturais tudo tem uma razão de existir.
Os mistérios do mundo e da vida estão relacionados com a filosofia interna, por exemplo, quem não conhece a filosofia interna não conhece a senda mágica, pois, a senda e uma tradição milenar que é passado de boca ao ouvido e essa passagem é feita num templo interior e exterior ao mesmo tempo, porque, eles tem muito de comum, por isso se trata de um grande batismo que se da entre os homens de desejos e de vontade sublime
Marck Sosza
Enviado por Marck Sosza em 04/08/2006
Código do texto: T209284
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marck Sosza
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 55 anos
149 textos (12323 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:14)