Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CRÔNICA DE AMOR À VIDA (meditação)

A brisa e o frescor do dia me acariciam a pele e sou grato à existência. Compartilho  com as borboletas a fragrância de pétalas se abrindo ao nascer do sol. Acaricio o orvalho, prateando o dorso das manhãs. O dia se faz no canto dos pássaros, uma louvação perene à vida. Fecho os olhos e aspiro a delicadeza da manhã se infiltrando dentro de mim. Uma percepção aguçada de comunhão se insinua e plenifica o meu ser. Esvazio-me de mim e me deixo flutuar pelos umbrais do Infinito, na imensidão cósmica de estrelas e sóis multicores.Tudo é mistério e beleza. Meu coração, em uníssono, dispara uma sinfonia de amor e gratidão ao Criador.
Eu sou o Universo e a plenitude me habita por inteiro.
A vida é uma dádiva de Deus.
Amo viver, porque sei morrer e nascer de novo a cada instante.

(José de Castro, 2006)
José de Castro
Enviado por José de Castro em 14/08/2006
Código do texto: T216141

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José de Castro
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
2254 textos (673222 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:18)
José de Castro