Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LIBERDADE...

Rouba-me o sono, rouba-me a vontade,
Mas por favor não me tires a liberdade
Venda-me os olhos, finge-te de louca,
Mas por favor não me tapes a boca
Provoca o sono, eleva a solidão,
Mas admite a existência de um não.
Se um dia eu quiser sair nu à rua,
Nunca digas que sofro mal da lua.
Provoco as normas, rasgo o sistema
Mas não te quero a criticar o lema.
Somos vergados pela oligarquia,
Deixem-me vociferar até ser dia.
Cantem mornas, chorem coladeras
Deixem-me recitar as Primaveras.
E quando morrer não quero mortalhas,
Porque foi o fim de muitas batalhas...
Então de olhos turvos e moribundo.
Gritarei para ti e para o mundo,
Rouba-me o riso, atrofia-me o ser.
Mas a liberdade não, enquanto viver.
Ângelo Gomes
Enviado por Ângelo Gomes em 11/09/2006
Código do texto: T237873
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ângelo Gomes
Portugal, 64 anos
553 textos (7881 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:30)
Ângelo Gomes