Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Olho-te - penso, nao sinto.

Olho-te, mas nao te vejo...
porque só posso ver o que de ti imaginei
assim é que acontecem as mágoas e decepções.
Ao olhar-te, penso, e pensando nao sinto.
Por isso certo quem disse que só ao coração
é visível a essência. Bendito coração que nao tem olhos,
e pode ver-te exatamente como és e te sente e ama sem pensar, por quem tu és.
Olho-te - penso, nao sinto.
Amo-te, sinto, nao penso.
Liane Furiatti
Enviado por Liane Furiatti em 25/09/2006
Reeditado em 20/01/2009
Código do texto: T248898
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre a autora
Liane Furiatti
Curitiba - Paraná - Brasil
776 textos (34956 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 09:09)
Liane Furiatti