CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Sinais do amor

Muitas pessoas deixam o amor passar por elas, desapercebidas, incrédulas e sonsas. Meus caros, o amor nos dá muitos sinais de sua chegada. Querem saber quando o amor chega? Parem e prestem atenção, pois a paixão e o amor são dois sentimentos bem diferentes e seus sinais também não fogem à regra.

Primeiro vamos falar de paixão, esse sentimento avassalador, que nasce num instante curto e não dura muito. É o amor do corpo, a vontade da alma humana, da carne, do toque... essa é a paixão a primeira vista, que não dá sinais, chega sem avisar e bagunça toda a nossa vida. Sentir-se apaixonado é de veras muito bom, mas devemos tomar cuidado para não confundir os sentimentos, pois paixão é fogo momentâneo, furacão desnorteado e passa muito rápido por nossas vidas.

O que não devemos deixar passar, de jeito nenhum, e que acontece, não uma, mas poucas vezes em nossas vidas, é o amor. Sentimento sublime e abençoado por Deus. Muita gente não percebe quando ele chega, muita gente tem tanto medo de ser feliz que deixa os momentos mais deliciosos do amor passarem. O amor nos dá sinais, meus amigos, e são sinais muito claros! Tão claros que todos à nossa volta percebem.

Vocês sabem quais são os sinais do amor? Vocês atendem a estes sinais? Bom, vejamos algumas das características do amor:

O amor é reluzente: quem ama espalha luz por onde passa, é por isso que não é necessário contarmos a ninguém quando estamos amando, pois na maioria das vezes só nós não percebemos.

O amor é silencioso: geralmente nasce com o tempo, quando vamos conhecendo mais o espírito da pessoa amada, quando a amizade muda de sentido. Uma característica muito própria do amor é o silêncio, pois no silêncio parece se dizer muito mais do que se falássemos sobre o amor que sentimos. É no silêncio que acontecem os beijos, os abraços e os olhares. Ah, o silêncio do amor! Como é bom ficar perto de quem se ama, mesmo sem falar nada, mesmo sem murmurar qualquer som. Ah, é tão bom! Parece que foi a melhor conversa que já tivemos.

O amor é egoísta: todo aquele que ama fica egoísta por causa do amor. Quando a gente ama, a coisa mais importante neste mundo passa a ser o que sentimos e por quem sentimos. "- Que se dane o que os outros vão pensar! Que se dane o que os outros sentem por nós! Que se danem os compromissos! Que se dane o mundo, porque EU estou amando." Que egoísmo enorme este, mas como é bom ser egoísta assim. A vida passa a ter um só sentido, mas é o que basta para ser feliz.

O amor é anacrônico: independe de tempo, idade, duração ou ordem para acontecer. O amor não estudou História! Desrespeita todas as regras e foge à cronologia. Isso com certeza não é importante para quem ama.

O amor não é cego: ao contrário do que todos os poetas dizem, ele encherga tudo o que está à sua volta, embora esse "tudo" sejá somente a pessoa amada. Quando amamos percebemos os defeitos da pessoa amada, mas isso não nos importa nem um pouco, pois, na verdade, é o que nos fascina no outro: as imperfeições.

O amor é paciente: quando alguém ama parece que nada no mundo inteiro é medido pelo tempo. A gente espera o momento do outro, sempre por medo de que o nosso sentimento não seja correspondido, mesmo que todos à sua volta percebam que sim, que você está sendo correspondido. Mesmo no desespero de querer tocar, de querer abraçar quem você ama, você espera e espera e espera... até que um dia acontece! Essa regra é principalmente das mulheres, pois ainda temos essa idéia de que o primeiro passo tem que ser do homem! Machista? Sim, mas viva o machismo! Não deve ser nada agradável carregar o peso de ter que dar o primeiro passo sempre.

Enfim, a gente sempre percebe a diferença entre o amor e a paixão. Na maioria das vezes em que amamos alguém de verdade saímos do chão sem perceber. Quase sempre passamos a ver a beleza da pessoa amada depois de já estar amando, pois neste estado enchergamos a beleza do espírito, não do corpo.

Quando a gente ama não é necessário nem se quer um toque para sentir o extase, pois só um olhar já nos queima por dentro. Ai, o olhar! Como é bom o olhar do amor, profundo, compenetrante, forte... parece te despir de todo o medo. É tão forte, que geralmente não conseguimos olhar pra quem amamos, pois não suportamos a luz que sai de nossos olhos e é por isso também que a outra pessoa sempre desvia o olhar! Imagine o encontro de dois olhares apaixonados, o quanto não ilumina, o quanto não evidencia, o quanto não desmistifica o amor? Não é à toa que os apaixonados sempre dão o primeiro beijo depois de um forte olhar. O Íman do olhar é incrivelmente forte.

Ah, meus caros amigos, não deixem esse sentimento passar! Dêem uma chance ao amor. Percebam os sinais que ele dá, pois é tão difícil recomeçar, encontrar uma outra pessoa que faça-nos sentir assim, tão completos... tão felizes! Não se entreguem a sentimentos menores, por medo de serem felizes. Não se deixem levar por paixões, não ignorem o amor, pois ele com certeza é o maior presente que Deus nos deu: amar uns aos outros, assim como Ele nos amou.

O amor é uma faísca de Deus dentro de nós, por isso é tão forte, puro e verdadeiro. Por isso é tão bom amar.

Anja do tempo
Enviado por Anja do tempo em 21/09/2010
Reeditado em 06/10/2010
Código do texto: T2511170

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Anja do tempo
Coronel Fabriciano - Minas Gerais - Brasil
248 textos (35810 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/14 04:51)