Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SERÁ JUSTO?

Será justo impor taxas, moderadoras, de internamento ou outras, aos doentes, como se fossem uma praga, enquanto os presos, condenados em razão dos seus actos anti-sociedade, são privilegiados, têm estadia gratuita e até recebem subsídios, como se fossem uma classe a preservar?

Será justo penalizar tão descaradamente os fumadores que, além de pagarem caro o seu vício, ainda são marginalizados fisicamente, enquanto os governantes se desfazem em simpatias para com os toxicodependentes, lhes oferecem salas de chuto e outras benesses como se fossem essenciais ao progresso do País?

Será justo o trabalhador ser sobrecarregado com tantos impostos, enquanto outros que nada fazem, nada declaram, vivem em casas luxuosas, passeiam em carros de alta cilindrada e ainda recebem subsídios?

Será justo o governo promover alguns dos seus filhos à data da reforma, para auferirem assim um maior valor, enquanto a outros, aos enteados, dá apenas algumas migalhas?

Será justo o governo sustentar uma tão pesada máquina, onde esbanja centenas de milhões num combate infrutífero contra os incêndios, sabendo que só com a limpeza da floresta tal flagelo pode ser debelado?

Será justo o governo diluir as suas forças de segurança por inúmeros países, descurando a segurança dos seus próprios cidadãos?

Será justo, em épocas de crise, onde a maioria dos portugueses é convidada ou obrigada a apertar o cinto, haver Bancos e Empresas que apresentam lucros astronómicos e continuam a beneficiar de privilégios fiscais?

Será justo atribuir subsídios e sustentar vícios a parasitas que nada fazem, enquanto se penalizam aqueles que trabalham e produzem?

Será justo o Estado gastar mais de metade da riqueza nacional para sustentar o cavalo do Poder e aqueles que o montam?
 
Será justo, num país a envelhecer pesadamente, os governantes, em vez de apoiarem os pais que querem ter filhos e promoverem a renovação de gerações, optarem por promover e custear o aborto?

Será justo fechar urgências, maternidades, escolas e abrir clínicas de aborto, casas de alterne e outras “necessidades duvidosas”?

Se afinal estas questões são justas, então o meu Mundo não é o dos governantes.

Alberto Carvalheiras
Enviado por Alberto Carvalheiras em 22/10/2006
Código do texto: T270784
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alberto Carvalheiras
Portugal, 73 anos
323 textos (10326 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:57)
Alberto Carvalheiras