Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sentenças de granito

Quando nos infiltramos em nós mesmo,
quando violamos os hospícios da nossa mente,
quando envenenamos o amor,
amor este que implode de um coração insólito
e reflete aos olhos a mágica de se ver na segunda pessoa,
e aos sentidos mais, na terceira;
é justamente após essa tênue linear
que a sagrada sedução se torna eficaz
e sutilmente perigosa;

e assim,
livres pensadores
cobertos de um frígido niilismo
agridem a si próprios
se tornando escravos de suas próprias loucuras,
se afogando em seus próprios retrocessos estomacais...

Onde as frágeis moscas que sobrevoam o
"não pra mim"
formam uma barreira intransponível
entre você e o amor,
entre você e o seu amor,
entre você e você mesmo...

Dessa forma, aquela tal mágica das coisas simples
se resume num truque ótico da nossa turva visão,
e assim proclamando eternos dias de chuva,
bradando em tom rouco
por eternos instantes
de momentos perceptíveis e palpáveis…
 
Onde o tilintar das gotas do vão prazer
traz consigo aquele velho distúrbio da enxaqueca,
um eterno “de já vu”
a te acusar de uma longa vida...

Um passado preparatório,
um presente insatisfatório
e um futuro fantasmagórico,
ou mesmo por dizer,
“passando pela vida com as janelas embaçadas”.
Marcelo Maia
Enviado por Marcelo Maia em 06/11/2006
Código do texto: T284055
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcelo Maia
São Bernardo do Campo - São Paulo - Brasil
80 textos (4101 leituras)
1 áudios (59 audições)
1 e-livros (130 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:49)
Marcelo Maia