Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Responderei




Não sou, estou.

Olhe pra dentro do meu coração...
Por detrás dos olhos.

É onde se encontra a conexão.

Como se fosse esse aí mesmo compartilhado atômico.
O palavreado e o sentimento.

Seres conseguem pessoas.

Caminhar numa mesma direção, mesmo com passos diferentes...
Não importa a conseqüência...

Independe a trajetória.
Não sugere lenda, raça,
Abstinência.
Nem mesmo glória.

O que digna é a condução.
E o tempo que entoa sabe a razão.

Deixe a luz entrar.

Essa aí mesmo que você não vê.
Perceba-te tocado sem que seres ar.

Imagine um mundo sem imaginações...
Não é sonho, é fotografia.

As imagens capturadas...
Aparições.

O entender...
Sem iguales repetições permanecia.

Chame pelo meu nome quando subir.
Salve-me, não tem outro jeito de resolver...
A linha nem sempre terá que cair.

O que diz meu olhar?
Se este for o meu, toda vez que ângulo beleza...
O que diz de meus momentos?
Num flash ou numa palavra que sugira estranheza...

Ler já transparece sacrifício?

Talvez um sorriso atento.
Sem endereço certo,
Sem recanto que esmoreça oficio.
Sem sitio que te perdure o estado.

Que ao modo a verdade aparência,
E que a ti compreendas amado.

Conhecer alimenta adjacências.

Então, tome-lhe informações...
Experimente um mundo sem experiências.

Se não fosse por este corpo eu viveria pra sempre!
Alcebíades Segundo
Enviado por Alcebíades Segundo em 20/11/2006
Código do texto: T296142

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Com respeito aprópria obra e propósitos utilizados para o conhecimento literário e a evolução da vida.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alcebíades Segundo
Guanambi - Bahia - Brasil, 38 anos
163 textos (9517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:23)
Alcebíades Segundo