Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A mensagem

Certa vez Carlos Drummond de Andrade falou:
“Se você procura bem você acaba encontrando
Não a explicação duvidosa do mundo,
Mas sim, a poesia inexplicável da vida.”

Até um tempo atrás achei que a explicação duvidosa era o amor
E a poesia inexplicável a amizade.
Mas depois de lhe conhecer descobrir
Que é o amor à poesia inexplicável da vida...
Passei também a acreditar na eternidade,
Pois um minuto sem ti é uma
Sessão de tortura aplicada pelos chineses,
Mas um minuto a teu lado é uma
Eternidade de prazer, afeto, descobertas, em fim,
Uma eternidade da poesia inexplicável da vida.

Acho que minha vida tem que ser dividida
Em a.A. e d.A., ou seja antes e depois de Amanda...
Pois agora sei que a saudade pode machucar muito...
Passei também a odiar o tempo,
Pois ele não é nosso amigo, mas sim nosso inimigo,
Porque quando estamos longe um do outro
Ele passa devagarzinho, acho q ele esquece da vida
E pára para contemplar minha dor, mas é só esta
Em teus braços que ele liga o turbo e passa sem olhar para traz.

Descobrir que lhe deixar triste me deixa triste
E que quando você esta triste você desliga o telefone
Sem me dá um beijo ou dá um beijo só por dá...

Descobrir que quando você esta feliz também fico feliz...
Percebe como é lindo teu sorriso, como é confiável teu olhar,
Como é doce teus carinhos e como teu abraço é apertado, quente e confortável.

Sinceramente nunca achei que fosse me apaixonar dessa forma,
É inacreditável como só penso em você, como só quero você...
Ultimamente meus planos só têm graça se for com você.

Depois de tantas descobertas, descobri que estou amando.
E é você Amanda que esta me ensinando a amar.

Sabe aqueles dias que você só quer ver a pessoa amada,
Para você nada importa se não o sorriso, o olhar, as palavras,
O beijo, o amor dessa pessoa??
Pois é, passo por isso todos os dias...

Certa vez Fernando Pessoa chamou os namorados
De bobos de abestalhados...
É, talvez ele estivesse certo...
Mas se quer saber... Se ser bobo é esta assim como estou...
Feliz, enamorado... Se ser bobo é
Ler um poema e dizer-lhe que ama...
É então sou bobo... Talvez o maior deles...
Porque eu te amo.

Valdeck M. Silveira
VALDECK SILVEIRA
Enviado por VALDECK SILVEIRA em 23/11/2006
Código do texto: T299305
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
VALDECK SILVEIRA
Salvador - Bahia - Brasil, 30 anos
11 textos (887 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:10)