Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As máscaras caem facilmente...

Será que em torno de toda a sua vivência já com maturidade você conseguiu contar quantas vezes se sentiu enganada? Quantas vezes alguém te machucou? Quantas vezes você quis dizer adeus? Quantas vezes você desistiu? Quantas mentiras você ouviu?
Eu me sinto mais tola do que o normal, mas por alguma razão, o peito já não dói tanto, eu apenas me sinto vazia... Estou soltando meu veneno a torto e a direito... Talvez um mal, talvez um bem...
Estou vivendo como nunca vive, como se cada passo fosse o último, como se eu olhasse pra trás e nada mais existisse, só que infelizmente, olhar pra frente também não é um mar de rosas, a mente anda mais perturbada do que nunca, os sonhos mais pesados de carregar, e as dores congeladas.
Já não consigo falar sobre meus sentimentos mais puros, sobre as minhas verdades, sobre o que preciso de fato falar, botar pra fora...
E o muro vai se formando mais e mais.
Eu quero que esse ano termine de uma vez, parece que chegou ao fim e parou, eu preciso que prossiga e se perca nos anos passados... A retrospectiva desse ano não vai ser de todo mal, não mesmo, até por que muitas pessoas entraram na minha vida, muitos casos, muitos amores, muitas confusões, muitas risadas gostosas, muitos anjos em volta de mim, mas há pontos que não batem mais pra minha felicidade, e eu só quero que acabe, quero achar maneiras de me afastar de pessoas... Quero achar maneiras, nem que seja sozinha, pra sorrir com pureza, abraçar e ficar horas desse jeito sem querer afastar o corpo da pessoa do meu por medo de não saber mais o que falar, o que antes sabia fazer tão perfeitamente bem, agora parece que entro numa batalha pra fazer.
O silêncio de um abraço não me parece mais raro, por que isso tem acontecido!?!?
Parece que eu guardo tanto ódio dentro de mim, e minha felicidade consegue combater toda essa raiva, mas é como se esse ódio conseguisse passar qualquer barreira e fazer meu cinismo ficar a flor da pele, é onde vou destruindo cada vez mais o pouco carinho que parece me restar. É nessa parte de mim que preciso tocar, é nessa parte que preciso mudar, é nisso que preciso re-configurar! Ou pelo menos balancear...
Eu quero descobrir por onde devo começar... Qual linha desenrolar primeiro... Qual grito soltar primeiro... Qual pedido de socorro fazer... E exatamente pra quem...
As brincadeiras de antes já perderam a graça, a vontade de sumir aumentou, mas quero um lugar nunca imaginado por mim mesma, os sorrisos já ficaram falsos, a confiança já desceu esgoto a baixo, a vontade de vencer aumentou, a vontade de seguir em frente sozinha com certas coisas se faz mais presente ainda, as trilhas me enganam, os caminhos mudam, aquele jardim cheio de flores em que só eu estou nele quando sonho fica linda a cada dia que passa, e a vontade de correr pra lá no meio de uma chuva é mais eterna do que meu coração possa ser.
Eu sei que vou conquistar pouquinho por pouquinho, as coisas vão evoluindo pouquinho por pouquinho, o que tiver de realmente voltar, voltará, e assim o sorriso vai aparecer de fato... Seja no claro, no escuro, na solidão, na união...
Eu não sou como pessoas e pessoas, posso sofrer muito, mas não subo em ninguém pra ser feliz, e o que tenho visto é pura mentira, e a única coisa em que acredito, é que máscaras caem um dia, e se você não tiver uma reserva, se não for bom o suficiente pra manter as mentiras que conta, as ilusões que causa, você simplesmente cai do pedestal que fez as pessoas montarem pra você, ai, BYE BYE MENTIRAS AO VENTO!
E isso, vou pagar pra ver. Por que se há uma coisa pior do que mentir, é usar quem ama pra fazer isso!
Eu vou levantar sempre a cabeça, não importa quantos tombos, dores e lágrimas derramadas. Vamos ver quem realmente cai e quem realmente fica no fim das contas!
Minha felicidade vai ultrapassar cada detalhe e essas coisas sujas sem graça e impuras vão sair de dentro desse coração falso que colocaram em mim enquanto dormia.
O que mais importa agora? É que EU TO VIVENDO, isso eu posso garantir, com loucuras ou não, lágrimas ou não, sorrisos ou não... EU TO VIVENDO!
“Masquerade!
Seething shadows
breathing lies . . .
Masquerade!
You can fool
any friend who
ever knew you!”
Masquerade – The Phantom Of The Opera by Lloyd Webber
Cah Deris
Enviado por Cah Deris em 29/11/2006
Código do texto: T305137
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cah Deris
São Paulo - São Paulo - Brasil, 27 anos
16 textos (12155 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 11:07)
Cah Deris