Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quem eu fui? Quem eu Sou! Quem eu Serei!

ISAQUE DOS ANJOS

Garoto romântico que sofreu que perdeu que quis ter e não teve menino poeta, que rima sobre o amor que jamais conheceu.•.
Fui uma criança normal, que leu que aprendeu que ensinou que foi que partiu que morreu.
Fui o filho que toda mãe queria ter, não saia, não bebia, não fumava, não cheirava, não matava.
Eu era assim mesmo, garoto romântico, que amou e não foi correspondido, que chorou e ninguém veio consolar, que descobriu cedo que era inteligente demais para ter uma vida comum.
Eu só queria ser comum,
não fingir ser que eu nunca fui não morrer de overdose ou com um tiro no coração,
eu queria morrer com uma rosa na mão, dando a rosa para quem eu amei.
Mas a vida nunca é como queremos, eu morri com quatorze anos, quando eu sai da Igreja e fui ser comum, fui ser o pior que se podia ser...

DIMAS GRAFF

Adolescente tolo, que apareceu aos quatorze, na morte do Isaque alguém tinha que ficar  na carcaça vazia.
Eu era o que tinha quer ser, forte, invencível, folgado, maloqueiro, grafiteiro, artista das ruas, viciado em cocaína, bebida e mulher.
Ateu, ante religião, ante amor e ante a verdade, amante da morte, conhecido como o melhor para o serviço.
Sem medo, sem amor, covarde, um reflexo do que eu um dia poderia ser,
Assim eu era, corajoso, sem medo, sem arrependimentos, lábia para conquistar qualquer mulher, mas sem ter a que o Isaque já amara.

Mas nem mesmo eu fui imortal, e um dia fui vencido pelo espirito da verdade.
O Espirito Santo me levou, e eu tive que ir embora, para dar lugar aquele que vem e que agora é.

DHYMAS DU GUETTO

Eu agora sou o que há, sou o menino poeta e grafiteiro, uso Guetto no nome por acreditar que toda a arte que eu faço é uma forma de expressão que vem do Gueto,
Tenho a esperança que o Isaque tinha, a vontade de crescer, a vontade de amar um amor verdadeiro, tenho o dom que só ele tinha pra poesia, a rima na hora, e o encanto que reluz.
Mas tenho ainda, a paixão pela vida que o Dimas possuía, o desejo de companhia, mas hoje sou realista, vivo um dia de cada vez e não meu ultimo dia todos os dias,
não sou mais viciado, sou apenas um Garoto lavado e Redimido  no sangue do Cordeiro, quer gostem ou não, acho que no momento sou o que há de melhor dos dois, pois sou assim o poeta, o grafiteiro, a Evangélico, o Clérigo, o menino que fala gírias e que clama um Deus vivo e verdadeiro, mas sou assim hoje, pois amanhã, quem sabe, talvez amanha eu seja um anjo, pois no nome de Registro eu já tenho uma Mudança plausível.
Serei eu mesmo, e não importa o quanto eu mude eu ainda serei eu mesmo.







Dhymas DuGuetto
Enviado por Dhymas DuGuetto em 15/03/2012
Código do texto: T3555546
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dhymas DuGuetto
São Paulo - São Paulo - Brasil, 22 anos
97 textos (7586 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/11/14 20:42)
Dhymas DuGuetto



Rádio Poética