CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Como definimos Deus? - Uma visão teológica

Em certa ocasião Jesus fez a seguinte pergunta aos discípulos: “Quem os outros dizem que o Filho do homem é?” E eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros Elias; e, ainda outros, Jeremias ou um dos profetas”. “E vocês?” Perguntou ELE. “Quem vocês dizem que eu sou?”. (Mateus 16.13-16). E nós? O que dizemos sobre o Filho do homem? Como definimos Deus?

O teólogo A. B. Langston ao falar sobre este assunto definiu: “Ao finito não cabe definir o infinito”. (LANGSTON, 1986). Isto é, quando o homem tiver esgotado suas possibilidades para conhecer a Deus e suas maravilhas, ele não está senão no começo.

No livro Rumo e Prumo encontra-se a seguinte definição de Deus: “O único Deus verdadeiro é: Espírito pessoal, eterno, infinito e imutável; é onipotente, onisciente, e onipresente, é perfeito em santidade, justiça, verdade e amor”. (Rumo e Prumo, 2006).

A definição que damos a Deus é de extrema importância, pois mostra como O enxergamos em nosso cotidiano, em nossas dificuldades, em nossas carências, em nossos fracassos. Como você tem definido Deus?

Através da Palavra de Deus é possível dizer que Deus é: “Espírito pessoal, perfeitamente bom, que, em Santo amor, cria, sustenta e dirige tudo”. (LANGSTON, 1986).
 
Esta é a definição de maior praticidade e melhor entendimento, e a seguir será descrito com maiores detalhes cada uma dessas características visando um maior entendimento.

  A Natureza de Deus: Espírito Pessoal

Como foi dito nos parágrafos acima, Deus é Espírito. Em João 4.24 o próprio Jesus afirma essa verdade.

Deus é Espírito Perfeito. O pensamento de Deus é perfeito. Os sentimentos de Deus são puros. A vontade de Deus é santa. A vontade de Deus é perfeita. Em Sua natureza não há desequilíbrio e as características de Sua natureza desempenham de maneira perfeita Suas funções.

Pode-se então concluir que por espírito pessoal um ser que pensa, deseja, tem o poder de consciência própria e de direção própria. Portanto, Deus é um Espírito pessoal, pois é constituído destes poderes.

A consciência própria, em Deus é perfeita. Podemos definir como consciência própria a capacidade que a pessoa tem de estar consciente de si. No caso de Deus essa consciência de si é perfeita em todos os sentidos. No livro Esboço de Teologia Sistemática lê-se a seguinte afirmação: “Nunca houve, nem há e jamais haverá surpresa alguma para Deus em relação a si mesmo. Ele conhece a sua própria mente o próprio coração, a própria vontade. Deus sabe o que era o que é, e o que há de ser”. (LANGSTON, 1986). De fato, o conhecimento que Deus tem si, a Sua consciência própria é perfeita.

A direção própria tem por definição a capacidade de não ser conduzido por outrem, isto é ter a competência e aptidão de dirigir a si. Pode-se afirmar que a direção própria de Deus é absolutamente perfeita.

Sobre a natureza de Deus, pode-se afirmar sem receios e medos, que Deus é Espírito Pessoal Perfeito.

  O Caráter de Deus: Deus é Espírito Perfeitamente Bom

Em termos de definição de caráter, pode-se afirmar que o caráter de Deus é perfeitamente bom. O próprio Jesus afirma isto em Marcos 10.18.

Entretanto, Deus não é bom como o homem é bom, pois o termo bom em Deus é perfeito. Ele não é parcial em sua bondade, ao contrário, Deus é o mesmo para todos em tudo, como cita Langston: “Na Sua essência, na Sua natureza, no Seu coração, nos Seus desejos, nos Seus planos, nos seus atos, nos Seus pensamentos mais íntimos; enfim, Deus é bom em tudo”. (LANGSTON, 1986).

Dizer que Deus é bom é resumir todas as suas qualidades em uma palavra apenas, não há outra bondade mais sublime. Ele é bom como nenhum outro.

• Deus cria, sustenta e governa tudo
       
 
O Senhor Deus tem o poder de criar o que não existe, isto é, Deus cria o que não existia antes. (Gênesis 1.1). Assim como de multiplicar o que foi criado (Gênesis 1.11-12). Portanto, Ele fazer existir o que não existe, e multiplica o existente.

É importante ressaltar duas verdades: a imanência e a transcendência de Deus, pois o Deus Criador habita no universo, entretanto é maior. Isto é a Sua Grandeza não está limitada aos limites da Terra, dos astros, das galáxias, das matérias disseminadas no espaço.

Portanto, Deus é imanente porque habita no universo, e é transcendente porque Sua superabundante capacidade é superior às atividades que Ele realiza no universo. A imanência baseia-se no fato que Deus está no universo, de forma onipresente e presente. A transcendência baseia-se no fato que a capacidade de Deus é inesgotável.

Sobre Deus ser o Criador, o apóstolo João declara: “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens”. (João 1. 3-4).

  Deus Sustenta Tudo.

O Deus Criador não somente criou o universo, mas também o sustenta. Além disso, Deus tem os recursos para prover a criação de todas as coisas que são necessárias. Em Hebreus 1.3 diz: “O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa...”.

  Deus governa tudo.

Deus além de criador e sustentador de todas as coisas, Ele também governa tudo. Nada escapa do controle de Deus. Nada foge de Seu governo.

Todo o universo é governado pelo Criador, e todas as coisas existentes cumprem o Seu desejo. O homem não está imune desse governo divino, Ele tem um propósito para a humanidade e cumprirá os Seus desígnios. O salmista resume este pensamento ao dizer: “Ele governa para sempre com o seu poder, seus olhos vigiam as nações; que os rebeldes não se levantem contra ele”. (Salmo 66.7).

  Conclusão
       
O motivo de Deus em todas as Suas ações é o Seu santo amor. Ele em Seu amor Cria, Sustenta e Governa todas as coisas. Tudo que Deus criou foi por amor. Inclusive ELE nos amou tanto que deixou o esplendor de Sua glória (Fp. 2). O apóstolo João relata o amor de Deus ao escrever: "Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3.16).

No dia-a-dia temos que ter esta definição de Deus arraigada em nossos corações, pois não servimos a um deus qualquer, servimos o Único e Verdadeiro Deus, e o pensamento cristão sobre Deus é: Deus é Espírito Pessoal, perfeitamente bom, que em santo amor cria, sustenta e governa tudo


O Pastor
Enviado por O Pastor em 11/02/2013
Código do texto: T4134228
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
O Pastor
Santo André - São Paulo - Brasil, 37 anos
97 textos (2808 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/14 10:44)