Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Resposta a Raferty 01 - O ser social

Pô Leandro. Quanto pessimismo! Embora voce seja mais metáfisico, tem o mesmo estilo "young angry man" da Flávia Jobstraibizer, também de 23 anos. Ambos escrevem muito bem. São bem articulados e detonam magnificamente as mazelas que nós, geração próxima anterior, deixamos a voces. Jean J. Rousseau em A Educação de Emilio, justifica que o ser humano nasce bom, já que nascemos a imagem e semelhança (sic.) do filho de um deus. Alguém complementou, mais sabiamente que...a sociedade o corrige. Ser racional não é ser somente bom. É ser hipócrita. É desejar o que não é seu. Enfim, o que consideramos defeitos humanos, na verdade é a pura expressão do humanismo porque SOMOS TODOS ASSIM. Sei que isto dá um ótimo debate. Pena que aqui não seja o fórum adequado. Forte abraço.
Enviado por Raferty em 31/08/2005 00:12
para o texto "O Senhor das Moscas - William Golding"

Para começo de conversa aconselho ao leitor dessa repostas primeiro ler o meu comentário sobre o livro fenomenal do William Golding e se possível ler também o livro, para aproveitar ao máximo esse desenrolar. Não se dispondo a ler o livro o meu comentário abrange fatores que fogem da obra por sua universalidade, mas não se dispor a ler o meu comentário torna esse texto inútil, então dê um backspace e vá ler o próximo texto. :P

Primeiramente agradeço os comentários positivos endereçados a mim. É sempre gratificante receber o feedback dos textos que escrevemos e ver que eles passam adiante suas idéias, no caso as minhas.

Segundamente confiar no filósofo que disse que nascemos à imagem semelhança do filho de um deus é crer em um Deus, um ser onipotente e onipresente que controla vidas e determina destinos, julga e castiga o que já expõe toda a anti-filosofia do cidadão. Já que confiar em alguém que acredita sem provar é confiar na fé. E como sabemos fé é o contrário da filosofia.

Terceiramente, digo eu, que a sociedade não corrige ninguém. Molda. Atualmente somos pessoas reais em busca de ser a pessoa ideal. Essa, que por ser ideal, nunca vai se concretizar realmente. Esse ideal serve como caminho para uma aproximação, um resvalo nessa utopia da pessoa feliz (que, acredito, é a meta de qualquer pessoa viva no planeta, ser feliz). Então a sociedade não corrige ninguém, ela coage a pessoa a se enquadrar em alguns moldes. Como a maioria das pessoas temem serem rejeitadas, não serem aceitas em grupos, serem chacoteadas e etc, elas tendem a se enquadrarem o mais rapidamente em um dos moldes disponíveis e por ele se desenvolver.

Ao dizer que o ser humano nasce bom é aceitar de antemão conceitos de bem e mal, ruim e bom como dicotomias divinas e não de consequências naturais do ser. Acredito que o ser nasce com consciência e razão, que são as ferramentas para o bem comum da sociedade.

Ao dizer que ser racional é ser bom você quis dizer que através da razão se chega ao bem ou que qualquer pessoa racional é boa? Acredito que o primeiro caso pode ser verificado e o segundo não. Ao ser racional eu preferiria a minha vida a das pessoas a minha volta. Eu preferiria um par de coisas que beneficiariam a mim e acabariam com a vida de outras. Isso é ser racional. A racionalidade, em tempos de penúria, é a sobrevivência a qualquer custo. A racionalidade, em tempos de consumo e competição, é a ascensão a qualquer custo. A racionalidade, como meta de vida para se alcançar uma paz interior, é um caminho árduo de aprendizado constante e de reinvenções ideológicas e de postura pessoais.

Continuando o pensamento, o ser hipócrita de forma alguma (na minha visão) passaria pela racionalidade ou pela razão. Razão é aquilo que nos governa e nos dita caminhos. Se considerarmos que temos que dar vazão a todos os instintos animais que temos dentro de nós é melhor acabarmos com as nossas sociedades e nossa organização mundial e deixar que nos matemos, estupremos, morremos todos de males ligados a ascensão do instinto animais de novo. Mas como o ser racional, cidadão e político é um direito adquirido da raça humana ela não escolheria voltar para os primórdios e recomeçar todo um processo de desumanização.

Ser um ser racional é viver cada vez mais pelo benefício de todos e de nós mesmos, sabendo equilibrar bem essa barreira entre outros/nós para que convivamos de modo a que todos tenham a oportunidade de cumprir sua meta de vida (a que, repito, acredito ser a felicidade).

Não acredito, também, que ser hipócrita é desejar o que não é seu. Até porque, só se pode desejar o que não é seu. Ao conseguir o que se deseja essa coisa deixa de ser um desejo e passa a ser uma constituição de sua vida mental ou física (creio que nesse caso seja mental e física). Poderia dizer que ser racional é abdicar de instintos primitivos para uma convivência pacifica em sociedade. E que esse ato constante de tolir os instintos (muitos atualmente automaticamente reduzidos e aquietados) causa certa frustração no ser, mas que nem por isso acreditar que o caminho da convivência pacifica tenha esse pré-requisito significa ser hipócrita.

A expressão do humanismo se contrapõe fortemente a expressão do animalismo. O humanismo constrói toda uma nova visão do ser sobre ele mesmo e trás duas das características que nos fizeram evoluir, a consciência reflexiva e a espiritualidade.

Ao conseguir finalmente se organizar de modo eficiente e vencer mazelas naturais e com isso construir estruturas sociais o homem passa da simples sobrevivência a fruição de elementos extra necessários a sobrevivência física. Juntamente com a aldeia, a cidade vêm a arte e a espiritualidade.

E querer essa vida social não é hipocrisia do ser, mas sim esse direito que nos pertence na evolução mental. Essa dominação de nossos instintos em prol de um desenvolvimento maior e melhor de nossas vidas torna a sua proposta de que somos assim e não ser isso é hipocrisia uma falácia. Um desvio de caminho, muito facilmente acreditável, mas duramente difícil de provar e aceitar.

Aquiescer à idéia de que o egoísmo, a sobrevivência, o tão falado “farinha pouca meu pirão primeiro” como instintos do ser humano indissociável de nossa existência é dizer que esse passo em direção a felicidade foi errado quando começamos a nos socializar.

Continua no próximo texto, a resposta a outro comentário seu... :)
leandroDiniz
Enviado por leandroDiniz em 31/08/2005
Código do texto: T46562
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandroDiniz
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 34 anos
260 textos (273037 leituras)
3 e-livros (430 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:34)
leandroDiniz