Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

empório V

Voe sem querer chegar em nenhum lugar.

Um dia a paixão chegará e se instalará em seu peito sem lhe pedir licença.

Somos iguais na emoção. No buraco após a morte.

Não lhe tire a chance de ser feliz. Aceite a felicidade como ela é.

Não seja mesquinho com o sentimento alheio.

Não queira para os outros, o que não suportaria para si.

Tantas nuvens/ muitas sombras, o que não importa se temos o sol.

A vida tem nas mãos o que queres mais se o resto é conseqüência.

Eduque primeiro seu filho, depois questione a educação dos outros.

Cuide de sua casa com todo zelo se sobrar tempo olhe a casa do vizinho.

A lei deve ser rigorosa para todos, inclusive para nós, não somente para aqueles que não conhecemos.

Se houver comida, que seja para saciar a fome do povo, não para estocar no paiol, a mercê dos ratos.

Se o rei mora no palácio e o povo na rua, onde fica a justiça?

Se há pão e circo para dominar o povo, quem dominará o príncipe?
 
Se a lei não for para todos, não há que se falar em constituição cidadã.

Tudo passa – mocidade – beleza – até aquela raiva que sentimos ontem.

 

Não és absoluto. Não és melhor. Nem és.

 

atanazio mario fernandes Lameira
Enviado por atanazio mario fernandes Lameira em 22/09/2005
Reeditado em 30/09/2005
Código do texto: T52884
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
atanazio mario fernandes Lameira
Laguna - Santa Catarina - Brasil
364 textos (12407 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 14:10)
atanazio mario fernandes Lameira