Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM GRANDE AMOR E DUAS SENTENÇAS

Costumo dizer que o amor que sinto é meu, se sou eu quem ama. Quando aparece uma mulher digna deste meu sentimento, dôo-lhe totalmente, por empréstimo, enquanto ela fizer jus, sob pena de trazê-lo de volta e aguardar outra musa à qual possa entregá-lo, sob as mesmas condições...

É uma sentença não definitiva que pode ser revista... se, em grau de apelação, for julgada em Tribunal Superior da Paixão...

Na verdade, defendo a máxima de que um grande amor não morre nunca. Quando vilipendiado, frustrado, ofendido, magoado, retorna ao nosso coração, onde permanece latente, à espera daquela que será a nossa próxima paixão...

São sentenças de pensamentos que não consigo realizar sempre. Mas creio que esta seja a melhor forma de amenizar a dor da perda...
Ricardo De Benedictis
Enviado por Ricardo De Benedictis em 17/10/2005
Reeditado em 25/02/2006
Código do texto: T60403

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo De Benedictis
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 77 anos
1214 textos (272430 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:17)
Ricardo De Benedictis