Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

E a cobra sempre morde o rabo.

Remôo, rumino paixão até não ter mais dela o que tirar. Faço isso feito ninguém com paixão que não quer se apaixonar: faço escorregar roupa, rasgo roupa, deixo - sem dó - paixão sem graça. Sofrer? Eu sofro. Também ela não sobra. Sobrar sobra: sobra ruída, ruminada, só o resto, só a sobra. Mas paixão das grandes é boa até no fim. Dá até vontade de ficar com os restos só pra mim.
Cristina Carneiro
Enviado por Cristina Carneiro em 18/10/2005
Código do texto: T60918
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cristina Carneiro
Fortaleza - Ceará - Brasil, 34 anos
56 textos (2431 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:23)
Cristina Carneiro