Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

solilóquio - I -

...
“e, enquanto não me descobres, os mundos vão navegando nos ares certos do tempo, até não se sabe quando... - e um dia me acabarei.”
Cecília Meireles.



em solilóquio:

há momentos que me levam a pensar
além, como se fosse possível alcançar
o ato do outro pensamento, no entanto
o vento é sopro entre folhas, faz ruído
e espanta o pensamento. respiro, fecho
os olhos e sigo, atrás daquele momento
como se mãos houvessem a tentar o alcance,
mas, no pensar , em determinado tempo
não há a palavra que faça sentido e o impulso,
ao destino, aconteça. de repente, um silêncio,
todas as imagens se calam e o olhar perde a
intensidade. a sensação é dum vazio, iminente-
mente  cruel.  o corpo embala a cansadez ,
os sentidos, todos, quebradiços se avolumam
e ao canto dos lábios a  úmida e
destoada sonoridade dum beijo, único,
contudo, imaginado

é assim que vivo, determinados momentos:

entre os livros e as músicas
entre a saudade  e a distância
entre a possibilidade e o supor

embora, à vezes, eu possa sonhar
há momentos que me levam a perder
sentidos e verter lágrimas

[penso-me nuvem ...]

haveria de ser real se você,
ao menos, me alcançasse,
com palavras de tocar

[a distância é algo que vive fora de mim
em outro instante]


.
marcia eduarda
Enviado por marcia eduarda em 17/10/2007
Reeditado em 01/02/2009
Código do texto: T698844

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (márcia eduarda®). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
marcia eduarda
São Paulo - São Paulo - Brasil
537 textos (16966 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/17 07:00)
marcia eduarda