Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Idéias primitivas

     As idéias agora estão diferentes do incerto.
     As membranas cerebrais estão mostrando palavras coloridas com novelos de idéias novas.Nivelando a borboleta dos diafragmas colossais, grudadas em paredes do profundo dizer, onde se vê não só borboletas mais cães leprosos e ondas de insetos mirabolantes.
     Sei que não é fácil conduzir as palavras, mas tento converter a dificuldade em desmazelo. O progresso em realidade.
     Sentido contrário do eu que se exercita de confluências paranóicas e convicções descontroladas.
     Tenho apenas a vontade de lidar com o imperfeito das ocasiões sobrevividas compactuando com a vida multipla dos viveres insertos, contaminado pelo paradigma do ser sofrido e do eu amaldiçoado pelo rancor da vida naturalmente correta.
     Embaraços traçados pelo homem perfeito do mundo ocasional e distorcidamente juvenil em seus traços.
     Caracterizo-me com um ser primitivo de consciências elitizadas com traços periféricos sendo eu mais um no mundo dos perfeccionistas por erros metódicos e concretuais.
     Diferem minha vida sendo que só eu a vivo, de mesmice em mesmice, convalescendo pela persuazão do ser irreal.Esse sou eu, um ser irreal que junta trapos de idéias juldadoras para sentir igual a diferença dos normais.
     Sou eu, bicho irracional que racionaliza o irreal para conspirar com o sonho do viver inserto.
     Momento arduo para mim é falar dessa vida que pra mim não é vida mas sim um vôo de um morcego a luz do dia.
É arduo pensar que até a vida de agora, não sou um letrado de diploma, nem um rapaz de versos que se vende por ai.
     A mim peço que para de pensar o que já foi pensado, tem que se discutir fusões novas de momento, saber diferenciar o esgotado do que estar por vir.
     Vejo a luz cravada em meus olhos cegos de confiança, distorcida pelos óculos letais que não uso, assim como é letal o prazer do desenrolar da vida e como a vida é desenrolada pelo universo solucito. Poluido por radiações criminosas de mentes corruptas onde não existe bonecos de heróis para nos salientar de confusões primárias.
     Acabo assim essa diferente salada de conclusões, batidas no eletrodoméstico e gorfada nos ouvidos movediços da janela do pensar.
     O senhor dos sonhos esta fazendo hora extra ao me esperar, não tenho dinheiro imaginário no momento e a porta esta a se fechar.
     Fui!!!
Fernando Bueno
Enviado por Fernando Bueno em 18/12/2005
Código do texto: T87847
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Bueno
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
22 textos (392 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:02)
Fernando Bueno