Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vida: a descreva.

Estou eu aqui, novamente, tentando poetizar alguma coisa, mesmo com tudo que está acontecendo.
O que podemos esperar do mundo, se não sabemos nem de onde viemos? Sem querer contradizer nenhuma religião, pois não temos certeza de nada, mas digamos que, nesse caso, sou mais guiada por explicações lógicas e científicas do que por meras suposições. Explicações lógicas essas, que ainda não conseguiram explicar nossa origem... E eu, particurlamente, não creio que consigam tão cedo.
Mas como ia dizendo, já que não sabemos nem de onde viemos, como podemos ter certeza de algo? Dizer se está certo ou errado? Julgar?
É... Mas isso, infelizmente, é um tanto quanto comum em nossa sociedade...
Julgar é uma coisa. Compreender as coisas e explicitar o que achamos, é outra completamente diferente.
Ah! Como é inútil e irresponsável a suposta perfeição humana! Ridícula e sem bom senso.
Não, não somos perfeitos. Ninguém é. Se fôssemos, o mundo estaria em equilíbrio, mas já que é da imperfeição, do próprio desequilíbrio, que as coisas começam a acontecer, concluímos que vivemos numa total imperfeição. Depois disso, acho que ninguém seria tão tolo ao ponto de afirmar que estamos equilibrados...
Ai, o mundo... Será que existe alguma explicação lógica pra o que está havendo? Eu acho que sim. Provavelmente o que acontece no mundo conteporâneo é resultado de um acomodamento a idéias claramente representadas em mais um dos vários provérbios populares, e, propriamente idiotas, que diz que "depois da tempestade vem a bonança". Ha-ha. Como diz a música: "Vamos esperar que tudo caia no esquecimento, e aí então, faça-se a justiça". Nesse caso, o tempo levaria ao esquecimento e a bonança seria substituída por uma melhor situação, fruto do esquecimento, na qual seria implantada mais facilmente a "justiça". Deve ser isso que os nossos inteligentes governantes pensam.
Pronto, está aí um fato que comprova a teoria da imperfeição, muito bem por sinal.
"Somos todos iguais" e "Ninguém é perfeito", relatam a impaciência da sociedade. Como assim, somos todos iguais? Claro que não. É idiotice pensar isso. Cada um tem seu jeito, sua personalidade, sua própria visão do mundo e das coisas contidas nele. O segundo ditado popular é verdadeiro sim. Mas pense bem, na visão da sociedade, um ditado levaria, conseqüentemente, ao outro: Já que todos somos iguais e ninguém é perfeito, todos somos imperfeitos? É, até que o resultado dessa união deu certo...
Mais uma coisa a ser pensada e analizada. Será que uma coisa errada, quando unida a uma certa, se torna certa também? Pelo sim, notamos, então, que nada deu completamente certo no mundo, até hoje. Que coisa, não?
"A vida é bela"? Diga você...
Miss Lohanna do Amaral
Enviado por Miss Lohanna do Amaral em 26/12/2005
Código do texto: T90470
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Miss Lohanna do Amaral
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 25 anos
6 textos (434 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:13)
Miss Lohanna do Amaral