Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESEJOS

 



Se eu pudesse expor todos os meus desejos, com certeza sentiria medo, de me ver desnudo, perante todos que sempre me  viram e ouviram.

Se eu pudesse expor diante de todos os meus pensamentos iria me chocar com o resto da humanidade  que circula em torno de mim.

Se eu pudesse falar tudo que penso, com certeza teria que me calar diante de uma sociedade totalmente comprometida com a mentira.

E diante destas improváveis atitudes que eu poderia tomar, resta-me calar e observar o andamento de tudo, de forma sensata, sem nada falar ou dizer.
Neste momento quando me perco entre o desejo e o medo, entre a razão e a ignorância, fico preso a diversas atitudes que se chocam perante um amontoado de pensamentos e desejos que ficam contidos e circundados por muros e paredes criados pelo medo ou pelo bom-senso.

A razão se torna prisioneira, diante das constantes vertentes de uma realidade que passa a ser irreal e mesmo poder-se-ia dizer irracional.
Nestes momentos de devaneios da alma, quando se procura encontrar o sentido  de tudo que nos circunda, ficamos presos e reféns de nós mesmos.
No mundo de fora, as feras nos amedrontam e somos obrigados a nos esconder debaixo de nossas defesas e da couraça criada para nos proteger.
Vivemos num mundo real e ao mesmo tempo ilusório, imaginando que um Deus irá nos salvar pelo fato de sermos bons. Bons?

A sociedade como um todo vai a cada dia caindo dentro das mazelas que foram criadas para alimentar as ilusões e manter cativos todos aqueles que assim preferem, à procurar ou pesquisar sobre uma possível realidade além daquela que é tão comum.
E vou contendo meus desejos e refreio os meus medos para não ficar vulnerável perante o resto que se porta de forma insensata, sem compromissos com a verdade ou com ninguém.

Se, depois de tudo que conseguimos alcançar, nada valer para a melhoria da nossa vida e nosso próprio relacionamento dentro do mundo nada mais adianta. E assim  seremos compelidos a aderir a toda e qualquer forma distorcida de realidade.





 03/09/03-VEM

Vanderleis Maia
Enviado por Vanderleis Maia em 02/01/2006
Reeditado em 09/04/2009
Código do texto: T93551
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vanderleis Maia
Imperatriz - Maranhão - Brasil
1412 textos (110792 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:18)
Vanderleis Maia