Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Diálogos V

E PERCEBENDO QUE HÁ MUITO EU ESTAVA SOZINHA E PENSATIVA, LOGO APROXIMOU-SE A PERGUNTAR:
- POR QUE ESTÁS ASSIM TÃO CALADA?
- ESTOU TENTANDO ENTENDER O MUNDO.
- ENTENDER O MUNDO? MAS ASSIM, EM SILÊNCIO E SOZINHA?
- SIM. REFIRO-ME AO MUNDO QUE HÁ EM MIM. ESSE QUE ME ACOMPANHA.
- E NÃO CONHECES TEU PRÓPRIO MUNDO?
- NÃO, NÃO CONHEÇO.
- E COMO SENTE-SE COM ISSO?.
- SEMPRE QUE ADENTRO MEU EU É COMO SE ADENTRASSE UM LABIRINTO.
- UM LABIRINTO? E O QUE ENCONTRA NESSE LABIRINTO? COMO SE SENTE DENTRO DELE?
- ESSE LABIRINTO ME SURPREENDE SEMPRE. ORA COM O FRIO, ORA COM O CALOR, ORA COM O PRAZER, ORA COM A DOR. DENTRO DELE SINTO-ME SEDENTA DE CHEGAR AO CENTRO, APOSSAR-ME DO PRÊMIO E VOLTAR VITORIOSA.
- QUE PRÊMIO EXISTIRIA NO LABIRINTO DO SEU EU?
- EU!
- CENTRAS O MUNDO EM TI MESMO?
-  SÓ CONSEGUIREI VIVER OU ENTENDER ALGO EXTERNO QUANDO VIVER E ENTENDER QUEM SOU, O QUE SOU. NÃO CONSEGUIREI VIVER OU ENTENDER NADA QUE ESTEJA FORA, SEM PRIMEIRO ENTENDER O QUE HÁ AQUI DENTRO DE MIM.
Cinthya Danielle dos Reis Leal
Enviado por Cinthya Danielle dos Reis Leal em 06/01/2006
Código do texto: T95116
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cinthya Danielle dos Reis Leal
Petrolina - Pernambuco - Brasil, 40 anos
165 textos (73362 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:20)
Cinthya Danielle dos Reis Leal