Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fim




O limite teceu cercas tão difusas
Para as nossas estrepitosas zombarias,
Iam-se noites e mais noites emboladas,
No reboliço entre tavernas e estrebarias

As tabernas incendiavam nossas almas
Os corpos vertiam libidinagem
Nem a lua ou o sol nos convencia
Qual a hora mais propícia pra viagem

Hoje aqui, encerrado nessa campa
Regozijo a minha leviandade
De uma existência interminável de lascívia
Imaginando ser assim, felicidade.
José Mattos
Enviado por José Mattos em 18/01/2006
Código do texto: T100557

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.josemattos.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Mattos
Santa Rita do Pardo - Mato Grosso do Sul - Brasil, 52 anos
54 textos (2839 leituras)
1 e-livros (48 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:41)
José Mattos