Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ah! Querido papel em branco

Ah papel em branco,
Como podes ser tão meu amigo?
Como podes me entender tão bem?
Como sabes sempre o que de dentro me vem?
Letras absolutamente soltas
Absortas em si mesmas
Transbordam do cálice
Meus sentimentos
Unem-se como algemas
Ligadas, grudadas
o papel e a palavra
Vão se delineando,
A cada toque do teclado
Dando forma, em emoções disformes
Dando vida,  a quem não tinha nada,
Apenas espaço.
dando cor
Branco, preto...todas as cores em uma,
ou nenhuma,
ausência delas.
Posso sentir o sabor,
doce amargo de tuas letras
às vezes, gosto de anis estrelado
chocolate ou abricó
outras, de cidra, mas detesto  jiló
Sinto o cheiro de sândalo
Madeira crua
De dama da noite, que me encanta
Letras dispostas em versos,
Desnudam o avesso
E no papel em branco transformado
Posso ver o quadro pintado
Perfeito, terminado.


(01/03/01)
Rosy Beltrão
Enviado por Rosy Beltrão em 29/12/2004
Código do texto: T1012
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosy Beltrão
Estados Unidos, 62 anos
155 textos (31274 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/09/16 23:01)
Rosy Beltrão