Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
LIBÉLULAS RUBRAS - 9ª TRÍADE

ANGÚSTIA
Não sinto alegria nenhuma
em ser poeta
que a poesia para mim em vez de virtude 
é um vício que me mata...
silenciosamente me mata.
Bem vês meu aspecto lívido.

FANTIM
Duas estrelinhas negras
no lindíssimo céu branco do rosto de Fantim.
Duas luas claras, dois cometas ruivos,
uma galáxia carmim.
Sem azul, sem sol, no entanto esplêndido!
Nunca contemplei um sol tão lindo assim!

OS SAPATOS DO MORTO
Haveria uma luz no canto da sala,
sobre o morto feições graves.
Ninguém sabe se a viagem
é longa ou não.
Mas tiremos os sapatos do morto,
possa ser que sirva a algum parente.



Enzo Carlo Barrocco
Enviado por Enzo Carlo Barrocco em 20/01/2006
Reeditado em 20/01/2006
Código do texto: T101583
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Enzo Carlo Barrocco
Belém - Pará - Brasil, 56 anos
733 textos (134395 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:02)
Enzo Carlo Barrocco