Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0226 - Máscaras dos desejos



Tenho máscaras de desejos, muitas, ao todo sete,
visto-me de ladrão, cobrindo meu rosto com teu corpo;
nas partes tristes, deixo um gosto doce de saliva quente,
viro menino descuidado quando trepado no teu corpo nu.

Sou louco sim, quando dentro das partes quentes da pele,
visto-me de deus, um somente teu, para teu prazer,
desperto tuas vontades do sono profundo do passado,
gosto quando te assusta, mas não foges das minhas fantasias.

Sou sol quando lateja o sangue nas bordas dos sexos,
faço ser como se fosse a primeira vez todos os encontros,
fazendo brilhar dentro dos teus olhos uma luz especial,
visto-me de alma quando te beijo, de amante quando te tomo.

Minha última máscara, o homem que volta para o êxtase,
com a liberdade de preencher a carne com outra carne quente,
a insegurança e o despreparo das noites frias e sem lua,
aquele que compreende e escraviza todos os teus sentimentos.

14/04/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 07/04/2005
Código do texto: T10234
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116247 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 23:05)
Caio Lucas