Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Maldita Poesia

Rasgo as felpas da poesia
Escarro nas flores das fantasias
Piso nas vãs utopias
Sujo a boca de nostalgias
Apunhalo a hipocrisia
Não quero mais saber de poetar
Não preciso do falso brilho do luar
Esqueço a palavra sonhar
Rejeito o beijo de mel
do tal verbo amar
Abraço a realidade cruel
É mais salutar
O fel posso degustar
Não tenho medo de me envenenar
Ah! quantos dissabores a poesia me deu
Nos versos e nas rimas meu destino teceu
Agora quem dá às ordens sou eu!
Poesia maldita prá mim você morreu
08/06/2004
Zena Maciel
Enviado por Zena Maciel em 07/04/2005
Código do texto: T10239
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Zena Maciel
Jaboatão dos Guararapes - Pernambuco - Brasil
239 textos (6625 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:22)
Zena Maciel