Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RECONSIDERANDO

RECONSIDERANDO
Lílian Maial



De alguma tocaia de versos,
A vaga lembrança de vida.
Sinais de sobreviventes,
Pistas nos caminhos dispersos
E um cantar de pássaros e borboletas
(não que borboletas cantem...).

Era tarde e quieto antes
Que esse teu sol me raiasse.
Era outono e folhas flutuavam
sem querer cair,
em sua sabedoria vegetal,
como adivinhando a inversão
nas minhas estações.

Bem-vinda dor!
Que tu me morras,
Se nesses braços tenho algum alento!
Que me mates, se é teu contentamento!
Gosto de pensar que me velarias,
Que me enfeitarias e cobririas de flores e beijos
E que me irias dizer cânticos e salmos,
Como a embalar-me no berço.

Agora que despertei de teus sonhos,
Amamenta-me de teu sorriso,
Que cheguei faminta de rimas.
Quero um gole de teus dias,
A paz de tua irrequieta alegria
E a falta desses teus tão poucos dias.

Enquanto subtraio-te as dúvidas,
Calcule meu passado, noves fora, hoje,
Que aqui e agora sou recém-nato,
Completamente dependente,
E livre do teu recato.

Ortodoxa incrédula,
Sou a cédula que te mal paga,
A célula que te mal vinga,
A santa que te maldiz,
E a cria da tua agonia.


*********


Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 23/01/2006
Código do texto: T102833

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Lílian Maial
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1158 textos (248817 leituras)
21 áudios (13707 audições)
3 e-livros (1280 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:41)
Lílian Maial

Site do Escritor