Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O VERSO DA NOITE

Frívolo cantador de suores distantes,
desvendo o que refuga num poema arrepanhado.

Ante a  flor de pétalas dissonantes,
se cismo,  retiro do pulsar  um abismo
de estupor da angústia ávida pelo fado.

Um salto em torno da vaga
por mais alto a paliçada  da trajetória  aflita,
cumpro e excluo da madrugada
o calor de que não sei se desdita
e encaro  na natureza da dor do nada
que dentro de mim  se agita.
 
É quando um verso que não morre alteia o que está imerso,
e na cisão da falsa teia, salta e à pena ensina:
tudo isso que escorre é o viver da noite finita,
que me abrange como um lago que socorre
e o se enfeixar com o alvorecer, se jardina.

E como espectro de mera fita,
declina.


www.alfredorossetti.com.br
 
ALFREDO ROSSETTI
Enviado por ALFREDO ROSSETTI em 24/01/2006
Código do texto: T103373
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ALFREDO ROSSETTI
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil, 65 anos
143 textos (2367 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:44)
ALFREDO ROSSETTI