Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meus Cabelos Matizados

Meus Cabelos Matizados

Olho lá fora, pela janela,
me vejo e penso:
Por que não pintei meus cabelos?
Por que este matizado cinza,
na minha cabeça,
que tantos cobiçam?

Não, ele é só meu!
Não o darei a ninguém!
Foi o tempo que o fez assim!
Foi a  vida que o fez surgir!

Neste cabelo e nesta cabeça,
carrego comigo tantos amores
e desamores que me perdi!
Perdi-me no tempo, na vida,
no espaço, nas estrelas, no poente
e no surgir do dia!
Ganhei minha matiz e vivi,
quase tudo que tinha que viver!

E, de repente, surgiste
no meio da multidão,
me acenando com a vida,
esquecida e querida.
Não pude dizer " Não"!..

Soltei-me no tempo e te procurei.
Novamente te encontrei!..
Estavas, também ,perdido, como eu,
com a mesma matiz me procurando.
Coração desenfreado,batendo todos
os compassos do meu tique-taque!

E, mais uma vez, cingimos nossas cabeças,
nesse tom matizado e nos amamos,
com o frescor do tempo em que eram dourados!

Eda Carneiro da Rocha
Poeta Amor
Enviado por Poeta Amor em 08/04/2005
Código do texto: T10390

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Poeta Amor
Araruama - Rio de Janeiro - Brasil, 81 anos
398 textos (14771 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:38)
Poeta Amor