Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0230 - Amante muito confuso


 
Às vezes, penso que está ficando tarde demais,
não consigo sentir meu coração,
algumas batidas ouço-as ao longe, no seu peito,
sou invisível, como o meu olhar distante de você.
 
Preciso aprender a me perder, não importa onde,
não quero andar por corpos sem amor,
quero ser o sonho de alguém que me queira,
em qualquer manhã que acorde ao meu lado.
 
Não sou dono de nada, não sei do amor que sinto,
quero sempre estar perdido em meio a sentimentos,
aquela que... não importa qual, talvez quem
me despertar em uma outra madrugada e beijar...
 
Vez ou outra quero ser livre, correr por lados desconhecidos,
não vou acordar de nenhum outro sonho,
nem pretendo a liberdade de dormir em outros braços,
quero a fronteira, as barreiras dos nossos quereres.
 
Mais uma vez me sinto perdido, temo não acreditar,
busco carinhos escondido atrás de cortinas,
o amor tem cheiro de novo, de estar muito perto...
como alcançar, como poderia ser seu também.
 
Hoje ouço algumas músicas que vêm da sua boca,
estarei perdido se não mais ouvi-la,
se seus lábios fecharem os beijos do lado de dentro,
abandonarei minha vida, a dona do amor que nasceu...
 
Agora recordo alguns de nossos sonhos de viagens,
seguimos entre sentimentos que nos dominam,
algumas palavras foram ditas apenas com o olhar,
vimos um horizonte, ao longe, tão perto, tão junto...
 
16/04/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 10/04/2005
Código do texto: T10642
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116248 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:00)
Caio Lucas