Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUANDO O GOZO CALA



Queria tanto tua voz
dançando entre palavras
nas modulações de um bolero
das frases silenciosas do quarto.

Dormi em meio a segredos
enquanto seus olhos, sem sono,
descobriram meus lençóis da fadiga
e excitaram todas as serpentes
com dentes, língua e gânglios
para que tua bunda recostasse
aberta falando para as coxas
o infinito segredo inacabado.

Queria tanto tua tez
por baixo da minha mudez
devorando minha nudez sensata
sem frases chavões ou premeditadas.

O travesseiro mordido de dia
guarda tua saliva escorrida solta
descobrindo os anseios da lua branca
a rasgar a janela, as pregas, a fardo
do desejo de ter no imprevisível
o fato do gozo sem procriação
mais íntimo, tanta alucinação
devassada lua consumida.
 

Queria tanto reviver
outra vez sua voz de pecado,
matar o quarto em que nos comíamos
na falta de alimento, de carinho ou d’água
quando o amor dormiu, por nós envenenado,
fez-se a felicidade de permanecermos calados
aos barulhos dos corredores que cortam os quartos
do silencio conquistado quando descansa o amor quieto.

Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 11/04/2005
Código do texto: T10853
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19525 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:09)
Djalma Filho