Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vozes

seu silêncio corta minh’alma,
abafa meus tímidos gritos.
ainda que diga não e não,
insisto em truculentos apelos

meus poemas são desumanos,
mas carregam uma dor infinda;
como alguém que chora,
como alguém que permanece vivo

as horas passam correndo,
levam meu tempo não sei pra onde.
enquanto isso vou martelando passos,
cavando sonhos entre duras pedras

sua voz surda não me faz calar,
tira meu sono, tira minha alegria.
ah! Vou sair correndo, vou voando,
antes que chova em meus olhos
Pedro Cardoso DF
Enviado por Pedro Cardoso DF em 14/02/2006
Reeditado em 16/05/2012
Código do texto: T111681
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Cardoso DF
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 68 anos
4322 textos (94847 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:28)
Pedro Cardoso DF