Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A PASSAGEIRA DO ESPELHO

Um dia
- sei, saberia -
aquele espelho se assustaria
tanto com meu rosto feio,
até apiedar-se inteiro
pelo desleixo
da minha aparência triste,
que resolveu falar-me
- em segredo -
tudo, possível e impossível, para deixar-me não feio ,
para deixar de andar para trás, qual os caranguejos-de-areia,
para não mais me deixar levar como conchas-do-mar, pelas ondas.
   
A barba na mesma cara
- disfarçada -
cansada por nada mais poder fazer pela pouca face,
deixou-se crescer;
o cabelo mais escasso
- desaparado -
cumprindo a regularidade do deitar e dormir sobre os ombros,
encompridou-se sem querer.

Um dia,
- saberia, sim! -
entenderia tanto o mistério do espelho
que, como ninguém, queria me ver de rosto bonito
que acabei, sem querer, encantando-me por ele
sem nada precisar lhe falar
- nem em segredo -
do sentimento de amor à primeira vista:
havia uma mulher na morada deste espelho!

Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 16/02/2006
Código do texto: T112817
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19522 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:45)
Djalma Filho