Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

APRENDIZADO

Teu corpo fez o criar
do acordar dos olhos meus:
andavas mansa como a fragilidade da brisa,
e levava, em teu sorriso, um certo ar de deboche.

Passei a perceber que via
[induzido]
o desconhecido que pensava já ter visto
em tantos outros corpos próximos,
mas, jamais, nenhum
com a mesma fragilidade de brisa
ou com ar de deboche no sorriso que carregavas.

Cega-me agora.
Não preciso mais ver o amor nas coisas invisíveis!

Apesar de tênue a luz do quarto,
consigo sentir o mais íntimo do sublime que mora em ti,
por mais frágil que a brisa do teu sopro venha a sussurrar
[ao meu ouvido inteiramente teu]
que o deboche do sorriso foi só uma conquista
para que um amor não só tenha olhos
[como também, nem corpo]
e que aprenda, cada vez mais,
a cada novo despertar.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 20/02/2006
Código do texto: T114313
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19522 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:39)
Djalma Filho