Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Alerta geral



Meu camarada
dia está nascendo
noite morreu na curva da esquina.

Nada fizemos
fugimos de nossas angústias
da mediocridade que domina nossos atos.

A cabeça pesa
o álcool já subiu
desceu
como um elevador.

Visões brotaram e sumiram
escaparam em palavras
gestos
seguiram
como num carrossel maluco.

Meu camarada
seguimos adiante por cacoete
afinal a sociedade nos cobra virilidade.

Penetramos com fúria no dia-a-dia
recusamos às vozes dissidentes
que cruzam nossos caminhos
não quero mudar
tenho medo de mudar.

Gritamos
terror ferindo nossos corações.

Amanhã tudo recomeça
não temos escolha
não há mais Paz e Amor
a mochila já rasgou  ...

Mas podemos tentar viver novos tempos
recompor as fraturas desta vida
embora sempre sobre um lado torto
sem se entregar.

PS - Estes foi um dos primeiros poemas que escrevi.Tinha dezoito anos...faz tempo!
Ricardo Mainieri
Enviado por Ricardo Mainieri em 18/04/2005
Código do texto: T11816
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo Mainieri
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 56 anos
1920 textos (29388 leituras)
1 e-livros (105 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:55)
Ricardo Mainieri