Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ÁGUAS





Quem dera este azul
oceânico
fora meus olhos,
e que, buscando marítimos horizontes,
de vagas e de espumas crinalvas,
lá repousassem,
em ilha encontrada,
a eterna sabedoria.

Que ao homem a pertença
fosse já reconhecida.

E de rosto ao mar,
o que aos olhos é dado guardar,
soubesse ele,
em último gesto,
nas águas deixar
derradeiro latejar.



Jorge Humberto
(22:24/Maio/29/03)
Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 06/03/2006
Código do texto: T119412
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 50 anos
2622 textos (66670 leituras)
22 áudios (937 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:56)
Jorge Humberto