Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESTOU TRISTE

Estou triste como um dedo em riste
sem ter para quem apontar:
Nunca fui e nunca serei a última lei,
mesmo que venha do Alcorão,
mesmo que que venha do caramanchão
onde descansam aqueles que que editam,
aqueles que estavam na última ceia,
como o homem pode condenar a sereia
que apareceu em sua piscina?

Amai o próximo, o longe, o quase aqui,
amai o estar, o fruir, o pão, o caqui,
amai viver de suas sardas, de suas mansardas,
de ser o senhor do castelo,
de receber o cutelo,
de ser o antigo Kafka,
de receber a faca e, como cão, não fugir...

Escrevo este poema tão triste como pássaro sem alpiste,
como olhar a rua e saber que não viestes, fugistes
do amor que olha, que cuida, não me declare bombas,
estendo meus meus braços, pequenas ondas
de alivio e de sonhar oculto,
te espio sobre o muro e ainda fazes o café mais puro...

Queria te dizer o que pra mim é o amor...
Queria te mostrar a cor de um coração aflito,
fazer música com pequenos gritos,
te receber em casa como se fosse a última morada,
descansar da selvageria desses últimos dias que se acabam...

Mas a minha tristeza é como sobremesa para antigas alegrias,
de repente salta, contente, um par de lábios,
astrolábios diferentes e sutis, olhar o céu
de alegria azul e dele nunca mais do mel fugir...

Queria te tocar com minha pele de versos,
te mostrar o submerso dessa velha palafita,
gastar meus últimos fonemas léxicos
e destruir a antiga forma desta vida...

Sobreposto e generoso e fiel e sutil,
largar as enchentes para quem nada busca,
ser convidado para acender o pavio
da palavra cabalística e um tanto quanto etrusca...

Com a sinfonia do espaço ainda a traçar seus arcos,
estar presente na fila da frente é solar a melodia
que rege corações e singra em velhos barcos,
estar triste é só ser enxurrada nos largos
corações que pescam o amor de todo dia...

Preto Moreno
11/03/2006









Preto Moreno
Enviado por Preto Moreno em 11/03/2006
Código do texto: T121823

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Orivaldo Grandizoli). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Preto Moreno
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
6771 textos (102491 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 23:07)