Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Homem Poeta

Às vezes o homem em mim
Fragmenta-se
Como é pouco comum a um homem
E em especial a esse homem comum.

Outras vezes o homem em mim
Se faz rio
Renovando-se
Como a serpente trocando a pele
Como a semente rompendo o claustro.

No entanto,
Fazemos parte de um mesmo ser
De uma mesma historia
Minha carne é de sangue e de nácar
Minha alma é de luz e de prata.
Meu coração é de amor e de rima
E a minha poesia é de menino e de menina...
ULISSES de ABREU
Enviado por ULISSES de ABREU em 13/03/2006
Reeditado em 10/10/2007
Código do texto: T122806

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite nome do autor e endereço para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ULISSES de ABREU
Viçosa - Minas Gerais - Brasil
608 textos (207325 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:15)
ULISSES de ABREU