Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Muros Azuis dos Quintais de Deus - a quatro mãos

mae...

que bom sorrir
como e bom sonhar
e o que ficou pra trás
passou e eu nao me importei
foi até melhor
tive q pensar em algo novo q fizesse sentido
ainda vejo o mundo com os olhos de criança
que so quer brincar
e nao tanta responsa
mas a vida cobra serio e realmente nao da pra fugir

livre pra poder sorrir, sim
livre pra poder buscar o meu lugar ao sol

ainda espero te reencontrar
numa bem melhor
cada um tem seu caminho
eu sei
se eu tiver fé eu volto até a sonhar

livre pra poder sorrir, sim
livre pra poder buscar o meu lugar ao sol

irmãos do mesmo Cristo
eu quero e nao desisto
eu quero...

pai,
como e bom tem com o que se orgulhar
a vida pode passar
não estou sozinho
eu sei
se eu tiver fé eu volto até a sonhar

livre pra poder sorrir, sim

livre pra poder buscar o meu lugar ao sol


o amor é assim é a paz de deus em sua casa
o amor é assim é a paz de deus e nunca acaba
o amor é assim é a paz de deus em sua casa
o amor é assim é a paz de deus
nunca acaba

eu decobri que azul e a cor da parede da casa de Deus
e nao ha mais ninguém como você e eu...


................................................
 

eu pintaria de azul as paredes do mundo
para que se parecessem mais
com o quintal da casa de Deus...
Se cercanias houvessem.

o que passou ainda morde
e move moinhos imaginários
em quixotescas noites insones
em tempo q se mede em gotas
pingos
pingos
água dos olhos que enchem tanques,
transbordam e afogam
tsunami de ondas magníficas
poder destrutivo absoluto,
de beleza apavorante
e prazer desconcertante
ao perceber as tristezas
- ervas de minha horta,
cultivadas pra servir em nobres baixelas,
e ao deglutir, digerir
não esquecer nunca
nunca

e eu ainda pintaria de azul os muros do planeta
pra fazer tudo quintal da casa de Deus
e estender os lençóis brancos de São Pedro
em varais infinitos
rescendendo a jasmim
e alecrim celeste
e me sentaria no batente
com mil sóis secando a roupa
ah! certamente, certamente...
Se cercanias houvessem.

 
Jane de Paula Carvalho Santos
Enviado por Jane de Paula Carvalho Santos em 23/03/2006
Código do texto: T127289
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Jane de Paula Carvalho Santos
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 49 anos
20 textos (703 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 05:58)
Jane de Paula Carvalho Santos