Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu Credo poético


elisasantos

A palavra sem o propósito de resumir o objeto
Que não seja filha bastarda das convenções tribais
Que não seja assassina de intenções, sentimentos ou ações
Que não seja convenção para seqüestrar verdades
Que não seja arma na mão das tribos
Que não seja rótulo
Que não seja filha dos preconceitos
Que não vagueie em pobres bocas enigmáticas
Que não sirva a confissão de credos lunáticos
Que seja mais que um suspiro ao fim do orgasmo
Que seja a declaração fidedigna da alma
Do universo e da dignidade e luta
Dos verdadeiros seres humanos.
elisasantos
Enviado por elisasantos em 23/03/2006
Código do texto: T127606
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
elisasantos
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
430 textos (24472 leituras)
1 áudios (91 audições)
4 e-livros (163 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:39)
elisasantos