Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A GAROTA DAS MAÇAS, COLHIDA NA CHUVA.

Sinto pulsar aqui o desejo secreto de um sonho guardado e um beijo roubado.
As paredes brancas, pés descalços, o dia nasce sem lamúrias, no espelho pasmo...Pergunta sem resposta, será que ela vem?Nada me aflige, a não ser o próximo sonho, que nasce regado, a fantasias e devaneios, com brilho intenso de cor amarela. A sensação da manhã terna me toma, aroma das flores, visto brilho e cores, sem medo sem dores, por onde anda aquela garota das manhãs angelicais, que adentra a minha alma com carias matinais, ah! Deve estar por vir... Saberá ela que nessa manhã faço plena questão em existir? Em esperar...
A canção doce se encosta e grava-se no âmago, delira coração febril, onde esta? A garota das maças colhidas na chuva prometeu me visitar, toda de branco com flores azuis, ela também contempla a manhã, seus anseios prometeu me confessar, a espero chegar, por onde andas? Será com cestos de vime na esquina a espreitar? Nessa hora sinto o vácuo da solidão, o sol já brilha radiante, enfim avisto a silhueta da garota na janela, me tomo todo de emoções, as mãos tremem, o corpo inclina, os lábios sedentos, o coração palpita em descompasso, um dia há vi assim, vinha como um anjo, lírico, tênue, também da janela, mas era sonho, agora do sonho acordo e há vejo pura, real diante de mim, não necessito de palavras, só olhares e preces para que um dia a garota das maças colhidas na chuva volte, e de olhares inunde meu peito, até dizer, vim e quero ficar. Seria a concretização da manhã mais bela, a vendo correr através do jardim dos sonhos por sobre a grama verde, cruzando a esquina, com o ramo das flores azuis que lhe dei, de braços abertos a suspirar, pelo beijo inebriante com gosto da maça colhida ao pé da arvore chamada vida, de onde também traz toda luz divina, que sempre via em sua aura ao cruzar todos os dias tal esquina...Após tantas tormentas a manhã perfeita nos arrasta por dentre o Sonho realizado.
Eperdus
Enviado por Eperdus em 24/04/2005
Código do texto: T12781
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eperdus
Curitiba - Paraná - Brasil, 43 anos
39 textos (1277 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:30)
Eperdus