Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

so a ti


alma poetica alimentada de sangue, inspirando a revolta do comum e tendo por hobie contradizer a opnião simples e objetiva que a mim é empurrada, contrariando a linha que por anos a cabresto, alimentando um ultimo neuronio ainda existente na mente de cada um, o qual ainda lhe da a capacidade de raciocinio logico.
Eu fui aquele que tirou a venda dos olhos de toda uma classe e foi expulso pois fiz com que ninguem mais acreditasse nos professores sem questionamento, fui o que plandtou esperança e confiança no mesmo coraçao em que colho a traiçao, eu sou aquele que experimentou a falsidade com todos os gostos, aquele que deu tanto valor a amizade que quando a mesma lhe virou as costas me fez perder pedaços de meu peito, eu sou a fotaleza magnanima em força de orgulho o qual jamais servirá de auto-fragelo mas torna intransponivel sem dor física o acesso a um coraçao frio sem dó e agressivo o suficiente para servir de mecanismo de defesa a si proprio.
Tenho tanto a fazer que chego a desanimar em pensar no tempo, desanimo o mesmo que sempre escurece meu ego em pensar que jamais encontrarei reciprocidade em vida.
Sou confuso em jamais entender a supremacia e interpretar o Seu amor como indiferença apos correr sem intervalos pela direçao errada, tendo pleno conhecimento do caminho certo. Tendo coragem o suficiente para passar por cima do medo que me mantinha na direçao correta. Talvez essa cegueira estúpida que só me trouxe falsas felicidades e me deixou tao longe das pessoas que verdadeiramente querem o meu bem, seja devida a distancia consideravel, a qual eu mesmo sou o responsavel pelo afastamento da luz.
Hoje mais um dia o qual penso em todo caminho trilhado, em cada sonho frustrado, em cada projeto abandonado por que um membro desanimou e eu nao consegui continuar sem uma peça fundamental na trilha pois de cada um vinha a historia, hoje me firmando em cada esperança consistente como fumaça embazado sómente na confiança de meus proprios sonhos, me atirando mais uma vez de cabeça em um meio que tenho que torcer para dar certo, pensando em pessoas que nunca existirao, sonhando em um dia poder contrariar todos os meus proprios principios e passar por cima do meu orgulho de uma maneira que vala tanto a pena que eu jamais me arrependerei.
Na verdade tudo isso nada mais é do que um ciclo no qual se tivermos sorte de estar vivos ainda. conseguirmos retomar a conciencia a tempo e voltar ao animo para voltar todo caminho errado e ter a disposiçao de com a cabeça erguida caminhar no certo em direçao da luz, ou simplesmente falhemos e entao seremos pegos por uma armadilha no caminho torto, entao jamis poderemos ver a luz novamente, tonrando assim nossa eternidade em trevas.
rOg Oldim
Enviado por rOg Oldim em 28/03/2006
Código do texto: T129811
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
rOg Oldim
São Paulo - São Paulo - Brasil, 29 anos
185 textos (6584 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:16)
rOg Oldim