Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PALAVRAS DO TEMPO...

Os anos passam tão rápidos
que a vida se extingue sem volta
e envelhecemos com ela.

Envelhecer é uma dádiva divina
que nem todos conseguem alcançar.
São os problemas que se avolumam
surgidos da calada da noite
que nem sempre, se consegue ultrapassar.

Primeiro são os "ites" que aparecem
chegando só para perturbar
artrite, estomatite, esofagite, bursite,
tendinite, colite, gastrite, arterite,
bronquite, diverticulite, rinite, sistite
e muitos, muitos "ites" mais...

Depois é o coração que caduca
batendo bem mais devagar
e a diabete que vem só para atrapalhar
e como se não bastasse
o colesterol se aproxima
tentando marcar seu lugar.

O pior de tudo
é a obesidade que surge
mansa e bem sorrateira
mudando toda uma forma
tida antes escultural.

Vem com ela a depressão
o querer desestimular
os pensamentos que falham
a memória que se apaga
e o Alzheimer se instala.

Começa caindo tudo
na maior evolução
cai o cabelo, cai o busto
cai pelanca, cai verruga
cai barriga, cai a pança
não segura nem com cinto
cai até o que não deve
sem qualquer explicação.

Surgem anginas, escleroses
derrames, osteoporose,
incontinência urinária
obrigando a usar fraldas.

Infartos do miocárdio
hipertensões que variam
subindo e baixando rápidas
como bolsa de valores
oscilando uma derrota.

Insônia, avitaminose
menopausa e seus calores
marcando passo na estufa
clamando por um tal Parkinson

É a tremedeira que chega
sem nem segurar a mão
as pernas que ficam bambas
dando tonteiras, desmaios
nossa! que grande confusão

São nomes pomposos, de porte
que nos acompanham na estrada
impondo uma "Mal" presença na festa
sem ter sido convidado

Palpitações repentinas
que como um relógio encrencado
surgem sempre em hora errada
terminando com o tesão

Sem contar com a impotência,
que vem sem qualquer clemência,
o nosso fogo apagar...
e ter que usar o viagra
porque isso sim, é de lascar...

É tanta a limitação
problemas respiratórios
vacinas para se tomar
a gota que surge do nada
inibindo o seu andar

Nem quero falar da coceira,
melhor esquecer a cegueira,
glaucomas e catarata
senão acabo em doideira,
no meio de tanta besteira...

O certo é que ficar velho
não é moleza não!...

Se ser velho é retorno à infância
não fique parado à espreita
só vendo a morte chegar.
O melhor é administrar o seu tempo
tomando certos cuidados.

Continuar brincando na chuva
ocupando seu tempo ocioso
andando pra cá e pra lá
não deixar de ser criança
em qualquer tempo e lugar.

Neli Neto
02/11/03
19:40hs-RJ
Neli Neto
Enviado por Neli Neto em 28/03/2006
Código do texto: T130093

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Neli Neto
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 64 anos
98 textos (45250 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 17:06)
Neli Neto