Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AINDA INÉDITO





Ó arrogante, que queres tu, de mim,
Inédita presença, a minha porta? – Esmurrou!!!
Mas como, inexistente e original,
Supôs-se gente, que p’la casa entrou?
Inédita inépcia controvérsia!
Paro, para pensar:
 Melhor fora ao espectro nem entrar,
Que aqui não são permitidos nem fantasmas
Nem exaltados, quanto muito
Uns quantos desalmados,
De características mui nobres,
Querendo partilhar da sopa dos pobres.

Ah, que queres tu, de mim, ó perverso,
Inconsequente acessório?
Digo-te que não tenho, material
Para o teu casório!
Quem sabe então,
Para tema de crónica, a advir,
Não optes tu pelo «aleatório»,
Que é melhor que nada
E sempre dá para cingir,
O ego quase…, quase a cair?

Mas o que me chateia sobremaneira,
São estas inéditas figuras:
Ainda vagando pelo não concebido
E já fazem tamanha chinfrineira!

Quão facilitado é o trabalho,
A quem escreve, no que vai pelo soalho!
Aqui sim, de inédito, têm pouco,
Limitando-se a pigarrear,
De tanto ofender, a outro.

Homessa! Não sabeis, que significa, inédito?
“Não publicado!; original!; obra
Ainda não publicada!...”
Inédia, de tudo que existe?
Deixa-me, ó criatura, púbere!
Psicose cerebral!
Não leves a mal,
Mas regurgito psicanalistas,
Se lhes dá para ser fantasistas,
Omitindo coração e humildade,
Que se fazem pagar p’la metade,
Do serviço por eles prestado,
Como se fora algo de complementado.

Digo-te, deixa-me em paz
E a meus amigos!
Se queres ter alguma utilidade,
Dar sustento à tua verdade,
Não seja por isso,
Há tua espera oito são os livros, de poesia,
Esperando pela luz do dia,
Juntemos-lhes uma gaveta cheiinha,
De uva sem grainha
E eis achado o significado,
De teu ser desencontrado.

– Espera!!!...
Não… não, agora não é contigo!
Falava com a Musa,
Sussurrando-me ao ouvido:

Poeta?!... dás-te conta, de que existo?! –
Disse-me, ela.
E eu, porque persisto?! –

Minha dúvida e sequela,
À afirmação, que foi dela.



Jorge Humberto
(27/05/2004)
Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 29/03/2006
Código do texto: T130397
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 50 anos
2622 textos (66675 leituras)
22 áudios (937 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 11:40)
Jorge Humberto