Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0257 - Se você quiser


 
Vejo uma imagem do outro lado do quarto,
talvez bela, apenas talvez, não me vê,
meus braços à espera de ao menos um carinho,
não estou só de passagem pelo seu coração.
 
Junto pedaços de todas as vidas,
derramo ao seu redor as paixões que não vivi,
simbolicamente, me despeço do passado,
venho tentando ser melhor homem, melhor amante.
 
Transforme o meu gostar dentro do seu corpo,
misture as vidas, cada uma, faz o que desejar
e dos desejos faça amor, assim como gostamos,
seja meu alimento, minha fome, minha apenas.
 
Ainda não sei qual janela do seu corpo devo invadir,
tenho vontade de todas, sacar seus antigos amores,
serei ainda intransigente, egoísta, egocêntrico,
expulse-me, jogue fora, não sei ser amante comum.
 
Quero um pouco de paz, não dentro dos corpos,
quero sexo, gostos, delícias que só nós sabemos,
quero verdades nas palavras sem agredir, apenas palavras,
quero o absoluto da paixão e a calma depois de fazer amor.
 
Buscarei sua alma, levo luz, juntas alma e luz,
iluminaremos distâncias que jamais percorremos,
caminhos que nenhum amante ousou seguir,
sem esperanças, sem promessas, apenas seguimos...
 
Haverá chuvas pelos caminhos, tempestades e beijos,
haverá pessoas indo e vindo em todas as direções,
haverá ondas sem mar, montanhas sem ventos,
haverá amor, entre um e outro amor, sempre em nós.
 
Deixaremos nossos corpos expostos ao sol, à lua,
queimaremos as peles, partes de paixão, outras de desejos,
com a luz, então passaremos reto pela casa da solidão,
somos o sal e o doce que tempera o amor... nosso, se quiser!

04/05/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 25/04/2005
Código do texto: T13040
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116243 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 22:04)
Caio Lucas