Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem trem de pouso.

Um dia voei
Tive dificuldade para apear
Passei bem rente ao chão
retomei subindo o mais alto
Até sentir a ponta do nariz queimar
O calor do sol que ardia
iluminou minha vistas
pude ver toda amplidão desta terra prometida
na hora
feito caldo de cana
fechei os olhos na descida
senti os beijos do vento
o conforto de uma cama
me disse coisas de amor
caçoava do meu semblante de bobo
vou pousar
posso?
vejo meu campo de decolagem
estranho ser uma gruta
o teto refletia nossos corpos
desci do céu
Recebi um sorriso seu
As mãos apertavam meu rosto
Dando as coordenadas para uma nova decolagem
Os olhos cantavam
É amor de verdade...

Marco Cardoso
Enviado por Marco Cardoso em 30/03/2006
Código do texto: T131002
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marco Cardoso
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil
1601 textos (34633 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:15)
Marco Cardoso